Seu corpo, sua saúde e sua beleza

beleza corpoOs cuidados com a beleza precisam começar desde cedo. Existem muitas consequências para a pele, por exemplo, se a quantidade de sol pega durante a infância foi demasiada, ou descuidada. Médicos afirmam que a exposição solar sem filtro ou proteção em horários de alta radiação podem provocar o câncer. Certamente você não quer ter uma consequência tão drástica como essa, certo? Então o que é mais importante: sua beleza ou sua saúde?

A boa notícia é que é possível ter as duas coisas. Um corpo bonito e saudável pode ser resultado de uma alimentação correta. Se você quiser alterar alguma parte do corpo que não depende da alimentação ou dos exercícios físicos, ou seja, quer alterar algo que apenas a genética poderia alterar, saiba que a solução é uma cirurgia estética. Existem muitos bons cirurgiões no Brasil capacitados para realizar os mais diversos tipos de operações, fazendo com que você tenha o corpo que sempre sonhou.

Correr, saltar, abaixar, segurar e muitas outras ações da vida de relação estão ligadas ao movimento e à sustentação que dependem de ossos e músculos.

O ser humano, como todos os outros seres vivos, relaciona-se com o ambiente e precisa se adaptar a este. Uma das características adaptativas é a locomoção. Esta capacidade permite-nos mudar de ambiente ou ir em busca de algo.

Nos vertebrados, ossos e músculos estão interligados, muitos através de tendões. Nenhum vertebrado se sustentaria em pé sem o esqueleto; nem se movimentaria, pois os músculos precisam atuar com os ossos, formando alavancas.  Não existe beleza sem saúde, existe falsa beleza. Os ossos se unem uns aos outros por meio das articulações, permitindo uma amplitude maior de movimentos.  Os ossos, músculos e articulações compõem nosso sistema locomotor.

Nem sempre nossos movimentos são tão exatos ou temos um reflexo perfeito durante, por exemplo, uma caminhada. Às vezes, até por distração, podemos cair de mau jeito, torcer o pé ou não conseguir evitar um acidente. Podem ocorrer, então, lesões traumatortopédicas, tema que será tratado nesse site, como por exemplo:

  • identificar e diferenciar os tipos de lesões traumatortopédicas;
  • classificar e identificar os sinais de fraturas;
  • conhecer e aplicar as técnicas de primeiros socorros para cada tipo de fratura ou região do corpo fraturada.

Muitos ossos são ligados por partes flexíveis, denominadas articulações. Algumas articulações permitem movimentos limitados, como aquelas existentes nas vértebras. Nas articulações móveis e semimóveis, as partes em que os ossos estão em contato são revestidas de cartilagem e membrana deslizante, para permitir o mínimo de atrito.

Além disso, o espaço entre a membrana e o osso contém um líquido que funciona como lubrificante, chamado líquido sinovial. A saúde do seu corpo, portanto, depende de diversos fatores, e a beleza propriamente dita é resultado de uma combinação de cuidados estéticos e saudável.

Problemas físicos e fraturas

seu fisicoSe você quer ficar bonita, saiba que é necessário um cuidado especial com suas articulações. Traumas físicos dos mais diversos tipos podem atingir o aparelho locomotor, provocando lesões em algum tecido que compõe este sistema. As lesões mais comuns podem afetar as articulações, os ossos ou os músculos. As articulações se separariam, se não fossem os resistentes ligamentos que as unem. Se um deles se danifica, as articulações podem se separar e romper. Você já sofreu alguma luxação ou entorse? Vamos ver qual a diferença entre elas.

entorse: são traumatismos que atingem as articulações e podem provocar uma distensão dos ligamentos articulares, ocasionando a separação momentânea das superfícies ósseas da articulação. A entorse provoca inflamação, edema e dor local. A dor é mais aguda durante os movimentos;
luxação: é o deslocamento completo de duas superfícies ar ticulares, modificando as reações naturais de uma articulação e provocando perda de contato entre as duas extremidades ósseas dessa articulação. A luxação provoca dor intensa e edema local, com deformidade da articulação. Geralmente a pessoa não consegue movimentar a articulação. Qual deverá ser o tratamento, nesses casos?

  • imobilizar adequadamente a região;
  • não fazer fricção nem procurar esticar muito a área afetada;
  • aplicar bolsa de gelo local e manter a região em repouso.

É necessário que se busque orientação médica, pois se incorretamente diagnosticado trará problemas crônicos de movimentação articular.

Apesar de muito resistentes, os ossos podem se quebrar ao receber muita pressão. O rompimento parcial ou total da estrutura esquelética do corpo caracteriza uma fratura. A fratura pode ser provocada por traumatismos intensos capazes de determinar uma flexão, compressão ou torção do segmento ósseo, originárias de uma queda, contraturas musculares e acidentes diversos.

No período de crescimento do organismo, o depósito de cálcio é maior que a devolução ao sangue. Na fase adulta, há um equilíbrio entre os dois; na velhice, a devolução de cálcio ao sangue é bem maior que seu depósito. Por isso, nas pessoas idosas as fraturas são mais comuns e demoram muito para se soldar. Você acha que exista uma relação entre a idade de uma pessoa e a recuperação das fraturas? Algumas fraturas são consideradas patológicas, por ocorrerem em indivíduos que apresentam fatores predisponentes à quebra dos ossos, mesmo por traumatismos leves, como na osteoporose. A osteoporose é caracterizada por diminuição do conteúdo mineral do osso, principalmente o cálcio.

Além da osteoporose, o osso pode sofrer um processo patológico denominado de osteomielite (osteíte). A osteomielite é um processo inflamatório e infeccioso que compromete a região medular, causada por microrganismos bacterianos que penetram através de ferimentos de pele ou pelo sangue.
As fraturas podem ser classificadas em:
fechadas ou internas: os ossos se quebram, mas não rompem a pele;
abertas ou expostas: os ossos se quebram e rompem a pele, exteriorizando-se através de uma ferida.
Alguns sinais aparentes são bem evidentes nos casos de fraturas:

  1. nota-se uma deformidade na região, como se o osso estivesse solto por dentro
    ou fora do lugar;
  2. incapacidade de mover as extremidades ou articulações adjacentes ao osso;
    dor aguda e localizada;
  3. em casos de fraturas expostas, os fragmentos do osso são exteriorizados.

Para cada tipo de fratura e do osso afetado existe um tipo de procedimento de primeiro socorro e imobilização diferente. É importante, portanto, o socorrista conhecer os diversos tipos de fraturas e aplicar as técnicas de assistência correspondentes.

Um diagnóstico impreciso da fratura ou a aplicação da técnica incorreta podem agravar o problema.